sexta-feira, 19 de setembro de 2014

EXCELÊNCIA

 
Embora ainda em estágios evolutivos primeiros, toda alma tem propensão ao caminho da excelência. 
Esta é a norma divina, o preceito do Pai a todos os seus filhos.
O planeta Terra é um educandário com infinidade de aprendizes. 
E nele cada um ocupa lugar provisório, durante muitas experiências evolutivas. 
Vai da classe das primeiras letras, até os cursos superiores de altas filosofias. 
Aprende-se com os mestres, e com os companheiros de percurso.
É evidente que uns passam depressa de uma categoria a outra, e outros demoram muito tempo na letargia, sem esforço para aprender. 
Mas, o fim do estudo é sempre o mesmo: claridade, responsabilidade, solidariedade.
Ninguém se exime de reparar os próprios erros, a visão acanhada, e os braços preguiçosos. 
A excelência espera a todos, e uns aprendem com os outros os comportamentos agradáveis, longe da primitiva condição de egolatria.
Tudo é questão de tempo. 
Aprender a considerar os demais, e ter a todos como companheiros de percurso demanda, às vezes, várias experiências no planeta, em vestes diferentes. 
É preciso ser flexível para aceitar a diversidade de lugares, costumes e a mais variada espécie de condiscípulos.
É indispensável à maleabilidade para assimilar as mais diversas e díspares noções. 
Só os espíritos abertos conseguem, em menor tempo, coadunar-se às leis que regem o universo.
A meta comum é sempre a mesma: atingir o cimo, e depois predispor-se a atingir outros deles, até chegar a um estágio superior. 
Quanto mais se sobe, mais é preciso despojar-se da bagagem extra, e albergar o aprendizado de ser livre e límpido.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

ENTUSIASMO



O entusiasmo é essencial ao realizar qualquer atividade. O marasmo, a inércia, o desânimo e a preguiça não se coadunam com os planos superiores. 
Ele é tão necessário como o fermento na massa, ou o combustível no motor.
É voz corrente que o desânimo e a falta de coragem advêm das mazelas da vida, das dificuldades naturais ao plano físico. 
Concordo, mas quando o espírito é vivificado por altos objetivos, consegue superar as limitações.
Encarar os fatos com determinismo ajuda a torna-los factíveis de bênçãos. 
Na verdade, não importa o tipo de tarefa, se humílima ou grandiosa, o que importa é a disposição com que é realizada.
Nunca se ouviu dizer que os grandes vultos, e relevantes figuras se quedassem à beira da estrada, sem ânimo para continuar. 
Isso só pode acontecer quando o corpo está enfermo, e não por mera desvalia. 
Dentro das veias de cada homem deve correr o sangue espiritual. 
Quando ele para de circular, o organismo degenera.
Nota-se nos homens a propensão ao paulatino esgotamento das forças, até a parada forçada. 
Mas, as pausas servem para meditar e tirar conclusões. Enquanto o cérebro está ativo, não há estagnação.
Tudo aquilo onde cessa o movimento, se deteriora e apodrece. 
Dentro de cada ser, o entusiasmo é a chama viva que mantém o ritmo. 
A descrença paralisa. 
O melhor meio de viver em harmonia com as leis cósmicas é vibrar pela execução dos desígnios superiores.
A inércia provoca a mutilação dos melhores objetivos.  Vibra! 
Entoa cânticos de entusiasmo e põe-te em sintonia com a cadência universal!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

DOM



Lidar com eletricidade e outras energias requer cuidado e atenção. 
Assim também é o lidar com o magnetismo invisível das fontes anímicas.
Sem aparelhagem adequada é impossível usufruir todos os benefícios de qualquer forma etérea. 
O indivíduo deve munir-se do necessário à captação.
Assim acontece com os dons mediúnicos. 
Todos os possuem em maior ou menor grau, e em formas diversas, mas só o treino constante, a dedicação ao trabalho, a disciplina e a docilidade levam a um resultado satisfatório.
Em todos os tempos, os espíritos sempre se comunicaram com os encarnados, direta, ou indiretamente, através de intuições. 
Sempre se soube da existência de anjos-guardiães, aqueles que protegem, previnem dos perigos e indicam o melhor caminho a seguir.
Mesmo o homem mais obtuso reconhece intimamente, que não está à solta no espaço, mas ligado a uma fonte de energia que desconhece. 
Não é autônomo, liberto, mas sujeito a leis que apenas é pressente.
Até as crianças conhecem, de forma inconsciente, vários tipos de forças interiores. 
E algumas delas, sem perceberem, se tornam mestres em conhecimentos e artes que ainda não aprenderam no momento atual.
Cumpre aceitar a certeza de que a vida no corpo é apenas transitória, estágio obrigatório à aquisição de conhecimentos, mas nunca descuidar-se de manter a sintonia com o ponto de origem e com o foco da energia que o anima.

Estar alerta é um dom possível a todos. 
Basta silenciar e escutar as profundezas do eu. 
Ali está a solução de todos os mistérios, e a certeza de vida eterna.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

GENOCÍDIO



Acontecem lutas fratricidas de horrendos resultados. Como podem irmãos matar irmãos? 
Isso é resultado da incúria e da obliteração dos sentidos espirituais.
Conscientizar-se de que a humanidade é formada pelo mesmo Pai, e que não devem existir limitações ao amor, é o caminho para a paz duradoura.
Dá a impressão de que o homem aprecia a belicosidade. Apraz-lhe atacar e dominar. 
Atualmente há mais cautela, pois a descoberta e uso do átomo pode provocar cataclismo mundial.
Sabe-se do perigo de destruir. 
Energias que constrangem o homem ao domínio de ideias, se usadas com esse propósito, voltam-se infalivelmente ao ponto de origem.
O homem é movido pelo temor da destruição, e isso sempre segurou um pouco a sua conduta. 
Os que não o fizeram, pagaram altos dividendos.
E aqui estamos rebatendo os mesmos pontos. Mas é que as lições devem ser repassadas e rebatidas para que sejam memorizadas. 
É encarando o assunto sob vários ângulos que conseguimos convencer.
As energias jamais ficam canalizadas: dispersam-se. Todas elas são impregnadas de Luz ou Sombra. 
Quando há junção de Luz propagam-se dando a sensação de completude e harmonia. 
Quando estão impregnadas de sombra exterminam a saúde e a felicidade; tudo se torna caos e como existe a lei do eterno retorno, elas não se extinguem, mas voltam ao ponto de origem.
Quando os homens tiverem ligeira noção de que todos os males são criações próprias, não haverá mais genocídios. 
E a harmonia reinará entre todos.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

RASCUNHOS



As diversas experiências são apenas rascunhos da obra definitiva. 
É através deles que as ideias vão surgindo, sendo apagadas ou substituídas, até chegar ao resultado final. Isso demonstra o valor inquestionável dos erros e das faltas, a guiar por caminhos melhores.
Ninguém acerta de pronto, e sem novas tentativas. 
Os sábios realizaram inúmeras vezes as suas experiências, até chegar ao resultado favorável.  
Os homens vitoriosos não receberam gratuitamente o sucesso. 
Tudo foi feito através de acendrado esforço.
Todo aquele que deseja ter êxito por caminhos fáceis, está lidando com quimeras sem consistência. 
Basta lembrar a figura dos Mestres para ter certeza de que até eles tiveram o seu calvário especial.
Acrisolar o espírito demanda tempo e submissão à prova. É no desbastar das arestas que surge a obra de arte.
Na atualidade, nota-se a pressa em alcançar os objetivos. 
Os homens correm em busca de si mesmos e de sua finalidade dentro do grande conjunto. 
A meticulosidade parece extinta. 
São raros os perfeccionistas.
O homem corre tanto, absorto em suas preocupações, que nem se dá conta de auferir os bens do caminho, olhar o próximo com olhos fraternos, e estender as mãos em socorro de alguém. 
Esquece-se de plantar sementes de futuro e quando volta ao mundo espiritual está de mãos vazias, sem abrigar os esperados frutos.

Saber exatamente a finalidade do corpo físico é subir degraus evolutivos, e prelibar os bens imateriais. 
Os rascunhos serão rasgados e jogados fora. 
Mas, além deles ficam as benesses do trabalho dedicado e perseverante.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

EXSUDAÇÃO



Sob certos efeitos e temperatura, provoca-se a exsudação natural. 
Estes e outros fenômenos, próprios da matéria, repetem-se de forma mais leve no plano do espírito. 
Não há vácuos entre os dois mundos, e tudo não passa de diferente consistência.
O pensamento humano é algo de impressionante volatilidade. 
Sua coesão é capaz de mover as montanhas, propaladas por Jesus. 
É de tal força e magnitude que realmente pode realizar milagres.
Mas, tendo esse tesouro espiritual, poucos o conhecem e usam. 
Alguns o fazem para fins torpes e conseguem com isso a realização de mesquinhos propósitos.
Sabe-se que a matéria é feita de átomos que se transformam em energia: inconsistência temporariamente agregada. 
Mas, os homens se julgam concretamente estáveis e perenes. Só enxergam o que os seus olhos vêm. 
E, no entanto, ver não é apenas olhar, mas penetrar fundo a essência.
Já existem alguns lampejos de sabedoria naqueles que se dão ao luxo de pensar em sua realidade, meditar no que acontece, tirar conclusões e pôr-se em contato com o fundamental.
A maioria passa pela vida concreta apenas mergulhada em complicadas tarefas e atribulações. 
Dizem que postar-se em meditações é um luxo, e o tempo urge. 
Mas, ele se esgota em breve e poucos acordam para o essencial de si mesmos.
As gotículas de uma exsudação meramente material não dizem nada. 
Mas, são a prova transitória de que o invisível se incorpora, e de que a espiritualidade sublimada está à espreita de condensar-se em luz.

                                                   Equipe

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

EUTANÁSIA



Ainda existem singulares motivos para substituir a lei divina, como se fosse possível substitui-la. 
Em nome da piedade, ou do menor esforço, há alguns que usam abreviar a vida de um homem ou animal que não tem recuperação.  
Esse recurso tem merecido a reflexão de muitos pensadores. 
Será lícito interferir?
A sabedoria dos médicos e auxiliares humanos é limitada. 
Mal sabem que nos derradeiros instantes muitas luzes se acendem, e não é correto apaga-las antes que o enfermo tenha acumulado a necessária experiência, ou assimilado todas as noções.
Com o intuito de poupar o doente cometem-se algumas singularidades, mas o mais acertado é saber que é aos familiares e acompanhantes que se quer proporcionar alívio. 
Se a tarefa é muito penosa, pensam que não se deve prolongá-la indefinidamente. 
Se o fim é certo por que alongar-se em cuidados inúteis?
Aplicar recursos para apressar o desenlace, ou suspender aqueles outros que ainda mantém um resto de vida, é prática usada nos lugares em que ainda resta a incompreensão do verdadeiro sentido da experiência terrestre. 
Será que uns dias ou horas a mais são capazes de milagres?
O mesmo acontece em relação aos nascimentos. 
Em nome da sabedoria humana realizam-se algumas cesáreas inúteis, e não mais se tem paciência para o parto natural. 
Isso é consequência da modernidade...
Não nos sentimos no direito de julgar procedimentos aprovados pela maioria dos homens. 
Mas, do ponto de vista espiritual, conclamo à paciência. Dar tempo ao tempo é o sábio lema dos que já compreenderam este controvertido assunto.